Projetos

Grupo Conexão G de cidadania LGBT de moradores de favelas

Igual a você, eu também exijo meus direitos!

Rio de Janeiro

Objetivos e público alvo

Promover os direitos humanos de mulheres trans negras das comunidades da Maré e do Alemão, no Rio de Janeiro, com o objetivo de contribuir para minimizar violações de direitos e promover a valorização.

Atividades principais

  • Criar campanha virtual sobre direitos da população LGBTI com recorte em questões de raça/etnia, transgeneridade e favelas
  • Formar 20 mulheres trans negras como agentes de promoção de direitos humanos
  • Contribuir para a visibilidade e resistência de mulheres trans negras moradoras de seis favelas

Contexto

Segundo o Atlas da Violência 2018 (IPEA/FBSP), 71,5% das pessoas assassinadas no Brasil em 2016 eram negras. Em 2017, outro recorde cruel: o país é o que mais mata pessoas trans no mundo (TransGender Europe). O risco de uma pessoa travesti, transexual ou transgênero ser assassinada é 14 vezes maior que o de um homem cis gay, e a chance dessa morte ser violenta é nove vezes maior (RedeTransBrasil, 2017). De acordo com o perfil de pessoas atendidas pelo Grupo Conexão G, e conforme discussões do I Seminário Nacional sobre Assassinatos da População LGBT no Brasil, há grupos vulneráveis dentro dos vulneráveis: mulheres trans negras jovens e pobres (baixa escolaridade, sem renda ou baixa renda). A identidade de gênero é um direito por vezes negado nesses territórios e a associação com o racismo aumenta o estigma e a discriminação. Tais violências são agravadas pela negligência de serviços com as especificidades desta população e pela ação dos comandos de tráfico de drogas que expressam de forma letal a mentalidade transfóbica de parte da sociedade brasileira.

Sobre a organização

O Grupo Conexão G atua para garantir e promover cidadania e direitos humanos à população LGBT moradora de favelas e demais espaços populares, sobretudo da cidade do Rio de Janeiro. Com sede no maior complexo de favelas da cidade, a Maré, o Conexão surgiu no âmbito de uma iniciativa desenvolvida em parceria com o Instituto Promundo chamada Jovens pela Equidade de Gênero. A organização utiliza elementos inovadores e relevantes no trabalho de prevenção das DST/HIV e promoção dos direitos humanos.

Parcerias

Conselho de Direitos da População LGBT do Estado do Rio de Janeiro
Rede de Comunidades Saudáveis do Estado do Rio de Janeiro
Rede Trans Brasil
ABGLT (Associação Brasileira de Gay, Lésbicas, Bissexual, Transexual)
ABL (Articulação Brasileira de Lésbicas)
Fórum de Juventudes do Rio de Janeiro

Linha de Apoio

Enfrentando o racismo a partir da base (2018)

Ano

2018

Valor doado

R$ 70 mil

Duração

14 meses

Temática principal

Enfrentamento ao racismo

Ajude a transformar o país!
Colabore com nosso trabalho!

DOE AGORA

Projetos

Conheça os projetos apoiados pelo Fundo Brasil

Saiba mais