Projetos

Centro das Mulheres da Vitória de Santo Antão

Mulheres negras e raspadeiras lutando pelo fim da violência doméstica, familiar e institucional

Pernambuco

Objetivos e público alvo

Proporcionar às mulheres participantes a construção de conhecimentos sobre os instrumentos de enfrentamento à violação dos direitos humanos alicerçada na cultura patriarcal e machista. Possibilitar a reflexão sobre a estrutura das relações de poder e como as mulheres enfrentam a ineficiência e descaso dos órgãos públicos. Contribuir na elaboração de estratégias para enfrentar o mal atendimento às vítimas da violência doméstica familiar.

Atividades principais

  • Aplicação de questionário nas delegacias municipais sobre as condições do atendimento e da violência institucional contra as mulheres. 
  • Audiência pública. 
  • Oficinas centralizadas sobre violência institucional, violência doméstica e políticas públicas específicas no atendimento às mulheres. 
  • Seminários sobre a Lei Maria da Penha e papel das instâncias públicas na sociedade. 
  • Campanha sobre a violência institucional. 
  • Encontro de avaliação. 
  • Reuniões de mobilização e articulação com as mulheres e parceiros. 
  • Visitas de mobilização e articulação com as mulheres.

Contexto

A microrregião da Bacia do Goitá é constituída pelos municípios de Glória do Goitá, Feira Nova, Lagoa de Itaenga, Pombos e Chã de Alegria, situados na zona de transição entre o Agreste e a Zona da Mata. Têm economia rural baseada na agricultura familiar e principalmente na cadeia produtiva da mandioca. Nesse contexto, destaca-se o trabalho das mulheres raspadeiras de mandioca das casas de farinha.
Na região da Bacia do Goitá, as mulheres raspadeiras de mandioca – a maioria quase absoluta da mão-de-obra em todas as etapas do processamento da mandioca das casas de farinha – vivem numa situação desumana e desigual nas condições de trabalho, sendo exploradas, tendo seus direitos trabalhistas negados, com excesso de carga horária e remuneração humilhante, além de ficarem expostas à insalubridade do ambiente durante o tempo de trabalho, que chega a até doze horas diárias, em média, praticamente sem intervalo.
Segundo dados do estudo de mercado realizado pela UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco), 62% dessas mulheres estão abaixo da linha da pobreza e 54% das raspadeiras de mandioca não sabe ler e escrever.

Sobre a organização

O Centro das Mulheres da Vitória de Santo Antão desenvolve o projeto Mulheres Negras Construindo Autonomia Financeira desde 2011 com as mulheres negras e raspadeiras de mandioca. É uma ação de formação sociopolítica em gênero, raça e geração de renda. Enfrenta o desafio da violência institucional sofrida pelas mulheres relacionadas à violência doméstica e a dificuldade de acesso aos direitos garantidos na lei Maria da Penha e na Constituição de 1988.

Parcerias

- Rede em Defesa dos Direitos Humanos da Zona da Mata Norte.
- Centro Redhuma.
- Fórum Estadual de Reforma Urbana (Feru).
- Centro das Mulheres de Feira Nova.
- Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional – Fase/Pernambuco.
- Habitat para Humanidade.
- Secretaria da Mulher de Pernambuco.
- Coordenadoria da Mulher de Lagoa de Itaenga
- Coordenadoria da Mulher de Feira Nova
- Secretária Municipal da Mulher de Vitória de Santo Antão.

Resultados

Foram realizadas visitas de articulação e mobilização das mulheres nos municípios para um trabalho de escuta sobre a violência doméstica familiar vivenciada pelas mesmas. A importância da participação das mulheres nas atividades, para fortalecimento da subjetividade e compreensão do processo de violência foi o principal tema de reuniões com mulheres em quatro municípios. Também foi realizado um seminário sobre a Lei Maria da Penha e o papel das instâncias públicas. As participantes expuseram as discriminações sofridas e o descaso em delegacias de polícia. Questões como as medidas protetivas, as casas abrigos, os centros de referência e a atuação de secretarias das mulheres, delegacias especializadas e coordenadoras de mulheres foram abordadas em diálogos com as mulheres. Audiências públicas, uma campanha sobre violência doméstica e aplicação de questionários sobre o tema também fizeram parte do projeto.

Linha de Apoio

Edital Anual

Ano

2015

Valor doado

R$ 37.260,00

Duração

12 meses

Temática principal

Direitos das mulheres

Ajude a transformar o país!
Colabore com nosso trabalho!

DOE AGORA

Projetos

Conheça os projetos apoiados pelo Fundo Brasil

Saiba mais